Bluetooth 4.0: Novidades e diferenças

image

O Bluetooth 4.0 deixou de ser um mistério. A nova versão já está licenciada e a principal novidade é o baixo uso de energia, assim as transferências gastarão bem menos do que na versão anterior, onde grande parte era desperdiçada.

Essa diferença no gasto de energia será melhor percebida em aparelhos pequenos, que originalmente já consomem menos, como um fone de ouvido, por exemplo.

A economia de energia tem um certo impacto na velocidade da transferência, mas o prometido pelos desenvolvedores é que a mesma atinja até 1mb/s. E como não podemos descuidar da segurança, o novo protocolo de criptografia para este padrão é de 128 bits.

Maior alcance

Outra novidade é a ampliação do alcance de 9 para 61 metros, o que gera a possibilidade de novas utilizações promissoras para o Bluetooth, como o relógio com Bluetooth da Casio que permite a comunicação do mesmo com um celular em um raio de 5 metros. Não é uma distância muito grande, mas pense nas possibilidades, dá para monitorar pessoas em um prédio ou crianças pela casa, por exemplo.

ioneirismo

A Apple, como sempre, partiu na frente e já adotou a nova versão do Bluetooth nas versões mais recentes do MacBook Air e do Mac Mini. As novidades chegam até o mundo dos esportes, foi lançada a primeira cinta de monitoramento cardíaco que utiliza a tecnologia 4.0 e permite a conexão diretamente com um celular, sem a necessidade da intervenção de um relógio de pulso. MacBook Air (Foto: Reprodução)MacBook Air (Foto: Divulgação)

O que é Bluetooth?

Bluetooth é uma frequência de rádio de curto alcance que permite a troca de dados entre dois equipamentos sem fio. Atualmente todos os novos notebooks e celulares vem com Bluetooth integrado. Outros equipamentos que também podem ter esta tecnologia são as câmeras digitais, impressoras e consoles de videogames.

Com ele você pode enviar fotos, áudio, notas, contatos e vários outros tipos de informações, basta estar com o Bluetooth habilitado e estar próximo ao outro equipamento.

O Bluetooth 3.0, quando foi lançado, trouxe como novidade a integração ao padrão de comunicação IEEE 802.11, que garantiu uma velocidade superior que o seu antecessor, o Bluetooth 2.0.

Problema na busca do Android Market altera ranking de aplicativos e desagrada desenvolvedores

Uma das maneiras que desenvolvedores usam para terem seus aplicativos notados no Android Market é descrevê-lo o mais detalhadamente possível. Dessa forma, quando os usuários buscarem por alguma coisa que ele tenha ou faça, as chances do aplicativo aparecer na página de resultados é maior.

image

Até o final do mês passado, essa busca funcionava muito bem, mostrando tudo de uma determinada maneira. Mas alguns desenvolvedores perceberam no último dia 28 que ele havia sido alterado quando o volume de downloads caiu drasticamente, e alguns até tiveram seus aplicativos retirados das buscas.

De acordo com um tópico aberto no fórum dos desenvolvedores Android, alguns deles tiveram quedas de até 80% em volume. O caso é pior no caso de aplicativos pagos, em que desenvolvedores passaram a não contar mais com sua principal fonte de renda, por que seus aplicativos não são mais listados.

A reclamação mais recorrente no tópico, que já tem mais de 30 páginas, diz que antes, busca buscando por palavras-chave específicas seus aplicativos apareciam mas agora até mesmo uma busca pelo nome exato do programa não exibe ele na lista. E quando exibe, ele está bem no final dela.

O Google já disse que está ciente da situação, mas não diz se sabe a causa do problema ou quando ele será consertado. No fórum, a última resposta da empresa aconteceu no dia 6 desse mês.

Psicólogos dizem que vício em celular é preocupante

Você tem a mania de dormir com seu smartphone, seja iPhone, Android ou outro, do lado? Fique sabendo que isso não é muito saudável e que psicólogos estão preocupados com a crescente dependência de pessoas em seus celulares, exibindo um comportamento que mostra a preferência pela interação com seus telefones em vez de outros seres humanos.

image

Este não é apenas um problema para as gerações mais jovens. Adultos apresentam comportamentos que demonstram cada vez mais dependência por smartphones, situação que traz consequências preocupantes. Alguns são menores, tais como adolescentes falando em três letras por palavra, como LOL, outros mais destrutivos, como acidentes de carro por falta de concentração no volante para olhar seu celular.

Os cientistas descobriram que se chama “hábito de verificação” o comportamento dos usuários de frequentemente olharem para a tela de menu, em busca de notícias, e-mail, contatos e aplicações sociais. A verificação típica dura menos de 30 segundos e envolve o desbloqueio da tela e o acesso a um único aplicativo. Os pesquisadores da Helsinki Institute for Information Technology ficaram surpresos ao descobrir que usuários se preocupam em verificar seus dispositivos por horas.

O chefe da pesquisa, Antti Oulasvirta, disse: “O que nos interessa é que se a sua resposta habitual para, digamos, o tédio é pegar o smartphone para encontrar estímulos interessantes, você vai ficar distraído de coisas mais importantes acontecendo ao seu redor. Hábitos são comportamentos automaticamente acionados e comprometem o controle mais consciente de que algumas situações exigem”.

Mas não é de se admirar que as pessoas estejam tão ligadas ao aparelho. Graças aos seus dipositivos e funcionalidades, elas já estão usando seus smartphones para muitas tarefas diárias, como compras online e o acesso ao banco. De acordo com a Forrester Research, o comécio realizado por aparelhos móveis deverá chegar a 6 bilhões de doláres em vendas este ano.

A pesquisa de pós-graduação de Michelle Hackman ainda mostrou que adolescentes possuem um apego tão grande por seus celulares, que afastados deles demostraram incapacidade de se divertir. Mas não são somente os adolescentes confrontados com estas questões. Mais de um terço dos adultos nos EUA possuem um smartphone e, de acordo com o Pew Research Center, dois terços deles dormem ao lado do seu celular. 

Pessoas alimentam a sua dependência de smartphones de muitas maneiras. Alguns estão dispostos a pagar por planos de dados mais altos, geralmente mais do que aquilo que podem pagar. De acordo com a JD Power and Associates, o usuário de smartphone gasta em média 107 dólares por mês para o seu acesso sem fio. Isto é maior do que uma fatura de electricidade em média nos EUA.

Antti Oulasvirta ainda falou: “Os estudos já estão começando a associar o uso de smartphones para consequências terríveis. E, infelizmente, hábitos não são fáceis de mudar”.

Zumbis de Dead Island chegarão à PlayStation Home

A Sony e a Deep Silver anunciaram uma parceria para divulgação de Dead Island na PlayStation Home, podendo ser provavelmente o que de mais excitante já aconteceu no mundo virtual do PlayStation 3. Com o lançamento do jogo, uma invasão zumbi em larga escala tomará o Central Plaza e sobrevivência será tudo que importará.

image

Diferente de outros jogos que já fizeram divulgação através da PlayStation Home, Dead Island não tomará apenas um hub a ser visitado. No dia que o jogo sair, ele espalhará seu apocalipse zumbi por todos os cantos da Home, criando um verdadeiro caos pelo ambiente antes tranquilo e seguro da Sony. No centro da invasão haverá um ponto se destacando. Um minigame onde seu objetivo é criar itens para se defender e combater os zumbis, numa tentativa de sobreviver à invasão.

São dez níveis a serem completados. Uma vez que jogadores o façam, receberão um conteúdo especial para usar no Dead Island completo, a arma “Exploding Meat”, a qual apesar de não ter qualquer descrição, conta com um nome como “Carne Explosiva”, o qual não pode ser ruim. 

Desde o lançamento da PlayStation Home, o ambiente para interação entre jogadores nunca realmente decolou como se esperava. Durante alguns eventos, como a Electronic Entertainment Expo, E3, o serviço tem alguns picos de audiência, graças à cobertura dos mesmos, mas não vai muito além disso. 

Dead Island sairá para o Xbox 360, PlayStation e PC, no dia 6 de Setembro de 2011.

Como ligar de graça no iPhone e Android

Nível: Básico
Aplicativos necessários: Viber para Android e Iphone

Ninguém concorda com os preços absurdos das ligações telefônicas, tanto nacionais como internacionais. Mas, e se você pudesse fazer ligações de graça no iphone ou android, utilizando a conexão de internet dos aparelhos?

Com o aplicativo Viber, você pode se comunicar via VoiP gratuitamente e com uma excelente qualidade de voz em aparelhos com sistema operacional Android ou iOS.

 

image

O aplicativo funciona tanto no 3G quanto Wi-Fi, mas a vantagem é que ele associa o seu número de telefone à conta Viber e dispensa a criação de um login ou uma senha. Além disso, também é possível encontrar em sua agenda outros usuários que utilizem o Viber. Gostou? Então acompanhe os passos abaixo:

Passo 1. Busque e instale o aplicativo Viber para Android ou iphone Passo 2. Após instalação, abra o aplicativo e clique em “continue”. Depois, clique em “OK para permitir acesso aos seus contatos;

Crie sua conta Viber

Passo 3. Digite seu número de telefone com DDD e clique em “Continue”. Aguarde o SMS com o seu código;

Passo 4. Em seguida, o app apresentará um menu superior, com as opções: “Viber”, “All” e “Favorites”. Clique em “Viber” para acessar os seus contatos que possuem o aplicativo;

Ligue ou mande SMS gratuitamente para os seus amigos

Passo 5. Para discar ou mandar mensagem gratuitamente para um amigo que possua o Viber, clique sobre ele. Em seguida, escolha entre “Free call” para ligar e “Free message” para enviar uma SMS;

Convide seus amigos para participar

Passo 6. Clique em “All” para visualizar toda a sua agenda de contatos. Clique em qualquer contato, depois em “Invite to viber” para convidá-lo a participar do serviço;

Passo 7. Em “Favorites” você encontra todos os contatos favoritos adicionados por você na sua agenda. Clique neles para convidá-los a participar;

Passo 8. O aplicativo possui uma interface simples com funcionalidades do seu discador nativo do smartphone. Na opção “Recents”, você encontra as últimas ligações recebidas e efetuadas. Já na opção “Keypad” você utiliza o teclado alfanumérico para realizar suas ligações;

Passo 9. Na opção “Messages” você visualiza as mensagens enviadas e recebidas através do aplicativo. Em “More” você encontra opções para compartilhar o aplicativo com o Facebook e Twitter.

Observação: o app Viber – Free Phone Calls pode ser utilizado para comuicação entre aparelhos com sistemas operacionais diferentes (Android e iOS), desde que ambos possuam o aplicativo instalado.

Confira o vídeo abaixo e veja como o Viber funciona:

Google aumenta a velocidade de carregamento do botão +1 em sites

O pequeno botão +1 do Google acaba de receber um incremento do próprio gigante das buscas, que fez com que ele possa carregar até três vezes mais rápido do que já acontecia antes. Esta novidade aconteceu em uma atualização liberada.

image“Nós começamos a bolar uma série de mudanças que farão o botão renderizar até três vezes mais rápido em seu site,” afirma David Byttow, engenheiro de software do Google. Esta atualização na forma em que o botão é carregado por seu site é automática, ou seja, você não precisa chamar a pessoa que cuida do site para trocar algum código. David ainda garante que esta mudança é visual e fará o botão vir mais rápido do que antes para a frente do site.

Além da atualização automática pelo próprio Google, a empresa liberou um novo código que promete aumentar ainda mais a velocidade de carregamento do botão, que usa a linguagem em Java em paralelo com o que já está funcionando no botão. Esta novidade promete aumentar ainda mais a velocidade em que o botão é carregado pelo site em que está. Se você se interessou em adicionar este código em Java para o botão em seu site, basta clicar aqui, ir para a página de configurações do botão +1 e selecionar a opção Advanced options e depois a opção Asynchronous.

O botão +1 recomenda uma página para seus amigos do Google+ quando eles fazem uma busca na internet, além de compartilhar o conteúdo em questão com os seus amigos. Além disso, este botão conseguiu se mostrar um concorrente gigantesco para o botão de Like que o Facebook popularizou em sua rede social.

Sony DSC-TX55, a câmera mais fina do mundo

A  Sony anunciou o lançamento de mais uma de suas câmeras point-and-shoot, no modelo DSC-TX55, que chega com as credenciais de ser considerada “a câmera compacta mais fina do mundo”.

image

Em primeiro lugar, é importante observar como a Sony conseguiu abrigar todos os recursos e especificações em um produto muito pequeno e compacto. Seu chassi mede apenas 92,9 x 54,4 x 13,2 milímetros em seu ponto mais espesso. As medidas da câmera são parecidas com alguns smartphones que temos no mercado, tornando assim o seu transporte algo prático e descomplicado.

A câmera Sony DSC-TX55 possui um zoom óptico de 5x, que não se projeta, ficando paralelo à câmera, além de contar com um sistema de zoom digital de 10x com a tecnologia Clear Image Zoom da Sony, que combinado com a tecnologia de super resolução de pixels, podem aumentar o alcance do zoom digital sem perda de qualidade do sensor, mesmo em resolução máxima. Na teoria, o zoom digital não é algo muito bem visto pela maioria dos usuários de câmeras digitais, mas é possível que essa solução da Sony apresente bons resultados finais.

image

 

A TX55 também conta com tela OLED touchscreen de 3,3 polegadas, e não possui nenhum botão físico para comandos e funções. Todos os seus controles são feitos pelo toque na tela. Outra diferença é que esse modelo conta com slot para cartões microSD, no lugar dos discos SD convencionais. O modelo possui resolução de 16,2 megapixels, e pode gravar filmes em HD (AVCHD), além da opção de filmagem em 12 megapixels em HD. Isso, sem falar nos demais recursos integrados, como foto panorâmica inteligente, modo panorâmica em 3D e tratamentos de imagem integrados.

A câmera digital Sony DSC-TX55 tem previsão de lançamento para setembro. Sem preço anunciado.

iPad 3 virá com o famoso Retina Display; LG confirma

Já começaram as especulações sobre a próxima geração do iPad. Rumores bastante consistentes afirmam que a terceira versão do tablet da Apple ganhará o famoso Retina Display, uma tecnologia que permite exibir imagens com mais nítidas e com maior resolução.

image

De acordo com o CEO da divisão de displays LG, Kwon Young-soo, a empresa norte-coreana poderá fabricar telas de Retina Display para o iPad 3.

“Ele [Kwon Young-soo] disse que mais fabricantes de smartphones vão lançar novos modelos empregando a Retina Display da LG, que tem sido usado em iPhones e iPads”, afirmaram os jornalistas que cobriram o evento da LG que foi realizado ontem.

O executivo deixou escapar a frase após criticar a Samsung. Segundo o CEO da LG, as telas OLED usadas pela concorrente em smartphones e tablets “não são adequados do ponto de vista qualidade de imagem, tempo de resposta, consumo de energia e taxas de contraste”.

Segundo rumores recentes, há indícios de que a Apple está trabalhando em um modelo de iPad com resolução de 2048 x 1536 pixels, algo incrível de se imaginar para um dispositivo portátil. A alta resolução só será possível graças a tela de Retina.

A nova tela faz com que imagens e textos fiquem mais nítidos em qualquer tamanho. Isso só é possível graças a alta densidade de pontos — são 326 pixels por polegada. Cada ponto, segundo a Apple, possui apenas 78 micrômetro (cerca de 0,078 mm). O olho humano, por sua vez, não é capaz de distinguir os pontos separadamente.

Se você é fã do tablet da Apple e ficou animado com a novidade, é bom ressaltar que tudo não passa de um boato. A Apple, como sempre, não confirma nada — mas também não nega. Se o iPad 3 ganhará ou não uma tela de Retina Display, só saberemos quando Steve Jobs subir ao palco para apresentar a nova geração do tablet.

Empresa processa Microsoft por quebra de patente com Kinect

A empresa americana Impulse Technology está processando a Microsoft, alegando que seu periférico de captação de movimentos para o Xbox 360, o Kinect, está infringindo sete de suas patentes que cobrem dispositivos que rastreiam a posição do corpo para controlar jogos.

image

Segundo a Impulse, sua patente cobre um “sistema e método para rastrear e avaliar habilidades de movimento em espaço multidimensional”, o que se você acha que está pouco parecido com o Kinect, espere até ver os usos que ela cobre, os quais parecem praticamente uma propaganda de um jogo do periférico:

“Vasta variedade de jogos onde o movimento de um jogador é rastreado em três dimensões… e certos jogos de exercício onde o movimento do jogador é rastreado para afetar o movimento de um avatar virtual, e o esforço do usuário é monitorado, incluindo quando o rastreamento do jogador é feito pelo uso de uma câmera”

Aparentemente será difícil para a Microsoft sair dessa, já que a descrição bate tão bem com as funções e funcionamento do Kinect. A empresa está exigindo a cobertura de danos, custos, juros e honorários advocatícios. A Microsoft não quis comentar, mas disse estar analisando o processo.

Não satisfeita, a Impulse está colocando todas as empresas que fizerem jogos para o Kinect como réus também, o que por sua vez já pode ser mais difícil de convencer nos tribunais. Ainda assim, pode se tornar uma dor de cabeça para a Microsoft se começar a assustar empresas que queiram desenvolver para ela.

Pré-vendas de Battlefield 3 chegam perto de Call of Duty: Black Ops

A guerra entra Activision e Electronic Arts poderá escalar mais um nível conforme as pré-vendas de Battlefield 3, estão começando a se aproximar das de Call of Duty: Black Ops, fazendo analistas reverem as suas previsões e transformando a competição entre as empresas em algo mais palpável.

image

A informação veio da firma de analistas de mercado, Cowen & Company. Vendo o inesperado aumento, fora de suas expectativas, na demanda pela pré-venda de Battlefield 3, a empresa aumentou suas estimativas. Agora eles apostam que as vendas totais do título da DICE, publicado pela Electronic Arts, não serão de oito, mas de onze milhões. 

Infelizmente para Battlefield 3, enquanto seus números está bem próximos do último título da série, Call of Duty: Black Ops, eles ainda se encontram bem longe do nível de pré-vendas atuais para o próximo título, Call of Duty: Modern Warfare 3, que será o qual ele pretende enfrentar, com um espaço de duas semanas entre os dois jogos. 

Call of Duty: Black Ops vendeu por volta de 20 milhões de cópias em seus primeiros nove meses à venda. A série Call of Duty tem quebrado recorde atrás de recorde com cada nova iteração vendendo mais que a anterior. É possível que esta bolha continue crescendo sem estourar? 

Verdade seja dita, Call of Duty: Modern Warfare era excepcional, o que impulsionou as vendas do segundo jogo, que por sua vez impulsionou Call of Duty: Black Ops. Acontece que este último chegou a receber fortes críticas de alguns jogadores. Caso elas tenham fundamento, poderiam vir a afetar as vendas de Call of Duty: Modern Warfare 3

Por enquanto, as pré-vendas de Call of Duty: Modern Warfare 3 superam com folga as de Call of Duty: Black Ops, segundo dados de algumas lojas.